Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

domingo, 2 de outubro de 2011

REAÇÃO DESPROPORCIONAL

BEATRIZ FAGUNDES, REDE PAMPA, O SUL. Porto Alegre, Domingo, 02 de Outubro de 2011.


Alguém em pleno exercício de sua capacidade mental, ainda com uso pleno dos seus dois últimos neurônios, seria capaz de dizer que em sua profissão, na sua classe, na sua família ou em qualquer lugar do planeta só existem vestais?

Dois fatos absolutamente inofensivos, óbvios e cotidianos monopolizaram parte do nosso dia a dia na imprensa. O primeiro, a tal afirmação da corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Eliana Calmon, segundo a qual "bandidos estão escondidos atrás da toga". "Bah!", diria o gaúcho mateando debaixo da figueira, "até parece que descobriu a pólvora?"

O que se viu foi uma reação desproporcional, pois, vamos combinar, tem padre pedófilo escondido atrás da batina, tem jornalista bandido escondido atrás dos microfones e colunas, tem advogado bandido escondido atrás da carteira da Ordem, tem político escondido atrás da imunidade parlamentar, tem estelionatário escondido atrás do título de empresário, tem prostituta escondida atrás do título de artista, tem gigolôs escondidos atrás do título de missólogo, a lista seria interminável e alcançaria todas as atividades humanas.

O trágico e inconcebível é a reação desproporcional àqueles que em algum momento escancaram sem piedade a nossa humilhante condição humana, e pregam sem pudor a necessidade de unidos combatermos o mal inerente à nossa raça. Alguém em pleno exercício de sua capacidade mental, ainda com uso pleno dos seus dois últimos neurônios, seria capaz de dizer que em sua profissão, na sua classe, na sua família ou em qualquer lugar do planeta só existem vestais?

O combate ao presidente, ministro, juiz, político, jornalista, médico, engenheiro, policial, empresário, pastor, padre, pai-de-santo, merendeira, cortador de cana, cientista, banqueiro, pedreiro corrupto é antes de qualquer coisa um dever. Daí que o pedido, ou ao que parece exigência dos magistrados de que a Dra. Calmon identifique os "seus" corruptos "conhecidos" chega a ser comovente. Ela verbalizou o que todo o mundo já sabe!

O segundo fato que encheu o pacová dos pobres foi o tal comercial da top model Gisele Bündchen no qual a "safadinha" usa seu absoluto poder de sedução para contar ao maridão que "uau", bateu o carro, estourou o limite do cartão e sua mãe (sogra do querido) decidiu morar com eles! Gente! A propaganda insinuou o que deve ser o "normal" entre os casais desde que o mundo é mundo! Quem não conhece a história da Salomé. Pois, não é que algumas "feministas", ditas defensoras da condição feminina que não aceita mais o machismo ridículo dos últimos milênios, ficaram horrorizadas! Para o mundo que eu quero descer! Que bobagem!

Nenhum homem ou organização destinada a defender a condição do macho ainda não entendeu que no tal comercial o preconceito maior é contra o homem, considerado um bobalhão, plenamente manipulável e sem vontade própria cuja cabeça maestra não se situa acima do pescoço? Enquanto isso questões relevantes como, por exemplo: Porto Alegre não sediará a Copa do Mundo, médicos de Caxias do Sul estão há quase seiscentos dias em greve, professores ameaçam paralisação e o escambau, ficam debaixo do tapete voador dos loucos de plantão! Vamos descansar, afinal hoje é domingo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário