Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

MOROSIDADE - 11 ANOS PARA PEDIR CONDENAÇÃO DE ACUSADOS DE DESVIAR DINHEIRO PÚBLICO

Onze anos depois. Procuradoria Militar pede condenação de 12 oficiais acusados de desviar R$ 2 milhões - O GLOBO, 27/10/2011 às 22h57m; Gabriel Mascarenhas

RIO - O Ministério Público Militar (MPM) pediu à Justiça a condenação de oito coronéis, dois tenentes-coronéis e dois capitães do Exército, acusados de participar de um esquema de desvio de verbas no hospital central da força (HCE), entre 1994 e 1996. De acordo com o MP, os 12 militares são responsáveis por superfaturamentos na compra de materiais médico-hospitalares, como equipamentos e remédios, que representaram prejuízo de aproximadamente R$ 6 milhões (valores corrigidos).
A ação se arrasta na Justiça Militar desde 1997. Se condenados, depois de encerradas todas as possibilidades de recursos, cada um deles poderá cumprir penas que variam de três a 15 anos de prisão.

Na ocasião, entre agosto e dezembro de 1996, O GLOBO publicou reportagens mostrando que o HCE pagou até 114% a mais por alguns produtos hospitalares.

Em sua alegação final, o promotor Ednilson Pires se baseia em 23 laudos contábeis para afirmar que os acusados tinham movimentações financeiras incompatíveis com suas rendas - um deles teria movimentado R$ 500 mil em dois anos. O MPM afirma que o grupo fraudou licitações e emitiu aos fornecedores notas de empenho com quantidades de produtos inferiores às que entravam no estoque da unidade de saúde, e com preços acima dos encontrados no mercado.

Sustenta ainda que os acusados contrataram empresas impedidas de concorrerem em licitações públicas por determinação da Justiça federal.

No documento enviado aos integrantes do Conselho Especial de Justiça para o Exército, o promotor escreveu que "houve uma empreitada criminosa previamente planejada que resultou no desvio de vultosa quantia de recursos públicos".

"Desvio de recursos em proveito próprio e alheio"

Ele também alerta que houve "favorecimento de fornecedores" e dos próprios agentes administrativos. Ainda segundo o promotor, foi percebida incompatibilidade da movimentação bancária de alguns acusados no período investigado. Ele conclui que isso "evidencia o desvio dos recursos em proveito próprio e alheio".

À época das denúncias, o coronel Roberto Nazareth Torres ocupava a direção da unidade, o coronel Jorge Augusto Faria da Silva era o coordenador de despesas, enquanto o também coronel Pedro Manoel Cherfen Neto estava à frente do departamento de Fiscalização Administrativa. Na Comissão de Licitações trabalhavam os coronéis Elton da Silva Neves e Dilcio Maciel Chaves, os tenente-coronéis Antonio Augusto Renaud e Idovaldo Protti Rosas, o major Paulo Santoro e os capitães Douglas Rodrigues da Costa e Orlando Luiz de Souza. Fecha a lista de acusados o coronel Gilberto Guimarães, então auxiliar de questões administrativas.

O GLOBO localizou dois dos acusados de participar do suposto esquema. Ambos reformados, o coronel Roberto Nazareth Torres e o tenente-coronel Antonio Augusto Renaud negaram as acusações e desqualificaram os laudos.

- Essa ação corre há quase 20 anos e não conseguiram provar nada até agora. Por uma razão simples: não houve desvio algum por parte de nenhum de nós - defendeu-se o coronel.

Já Renaud disse estar confiante de que será inocentado:

- A Justiça pode tardar, mas não falha.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - Onde anos depois? Que justiça é esta?

Um comentário:

  1. Porcaria...meu pai é o Ten Cel Idovaldo Protti Rosas....só queria dizer que tudo isso é uma palhaçada....hoje fiquei sabendo, pois ele me ligou e me disse pra olhar a matéria...a verdade é que povo brasileiro acredita em tudo que ve nos noticiários, sem cogita...r que podem estar sendo levados a acreditar em uma mentra...a verdade??? a verdade é que meu pai ta mais para bode espiatório ..afinal, só pra começar...ele ta sendo acusado de procedimentos fraudulentos de 1994 a 1995, só que em 1994 ele tava morando em brasília....ele só serviu no HCE em 1995 apenas....abriram a conta dele meio que sem autorização na época e umas imbecis, que obviamente por pressão de alguns chefões, chegaram a absurda conclusão de que tudo que tinha entrado na conta dele de 1994 a 1995, que não fosse referente ao salário, seria roubo e que era para ele provar ao contrário....ou seja, meu velho ficou mais de um ano pagando extratos noi banco do brasil(pois soube disso só em 1997 ou 1998 se me lembro bem)pro banco para correr atrás....carro que eletinha vendido, dinheiro emprestado que recebeu, ou seja tudo que entrou na conta ele teve que correr atrás de quem depositou para conseguir recibos que comprovassem que que não era roubo...o interessante é que as imbecis declararam que na conta dele (resultado do laudo contábil) tinha uns 98.000,00 que não tinha motivo pra existir e que supostamente seria objeto de fraude...só que meu pai, após realizar todas as contas, verificou que tinha mais de 100.000,00 que tinha entrado na conta dele nos dois anos que eram diferentes do salário, tudo devidamente comprovado com recibos e outros documentos....ou seja elas ainda fizeram a conta errada da palhaçada....é claro que o exército e o povo brasileiro quer o bode expiatório....saiu no jornal que fulano é ladrão, ele é ladrão e ponto final foda-se sua vida e de sua família...mas se alguém quiser saber toda a verdade, pode ir visitá-lo no muquifo onde ele ta morando e perguntar pra ele que ele vai falar a verdade, e não se impressionem com o lugar, peçam pra ir ver onde ele dorme(01 quarto embaixo de uma escada)...seus bens fraudulentos??? um Del rey ano 1990 e 01 classic zero que comprou financiado recentemente...e a casa que hoje até deve ta valendo uma grana por causa da contrução da siderurgica Votorantim, mas na época comprou os quatros terrenos por 12.0000,00...Enfim não se atenham somente ao que ta escrito, pensem que a pessoa pode estar sendo injustamente acusada...não sejam idiotas e ovelhas, como uma esposa de um amigo meu que me disse:" Ah, mas tudo bem seu pai é inocente, mas ele deve ter roubado pelo menos um pouco, já que saiu na GLOBO, não é mesmo??? é claro que por respeito ao meu amigo eu não dei um soco nela, mas eu não tenho como gritar para milhoes de pessoas que meu pai nunca roubou nada na vida dele e é uma pessoa justa e honrosa....Só tenho que acreditar que a justiça tarda mas não falha e se falhar eu não sei o que nós iremos fazer...só sei que parado é que não vou ficar...vou jogar a merda toda no ventilador.....Abraços a todos...

    ResponderExcluir