Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

sexta-feira, 9 de março de 2012

HABEAS PARA CONTRAVENTORES LÍDERES DE ESCOLAS DE SAMBA

Justiça concede habeas corpus aos contraventores Luizinho e Anísio - O DIA, 09/03/2012

Rio - Por decisão do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Sebastião Reis Junior, Aniz Abraão David, o Anísio, e Luiz Pacheco Drummond, o Luizinho, apontados pela polícia como banqueiros do jogo do bicho, vão responder ao processo em liberdade. Eles foram beneficiados por habeas corpus concedido a outro acusado de contravenção, Helio Ribeiro de Oliveira, o Helinho. A decisão saiu na noite desta quinta-feira.

Presidente de honra da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis, Anísio deve ser libertado nesta sexta, quando alvará de soltura do STJ chegar ao Tribunal de Justiça do Rio. Já Luizinho, presidente da escola de samba Imperatriz Leopoldinense, não é mais considerado foragido.

Preso desde 11 de janeiro, após ser detido em operação policial batizada de Dedo de Deus, Anísio está internado no Hospital Pró-Cardiáco de Botafogo, Zona Sul do Rio. Na ocasião, agentes da Corregedoria de Polícia Civil prenderam Anísio em um laboratório médico na esquina da Rua Joaquim Nabuco com a Avenida Nossa Senhora de Copacabana, em Copacabana.

Na Operação, 44 suspeitos de envolvimento com o jogo do bicho foram presos. Entre eles o ex-prefeito de Teresópolis, Mário Tricano. Anísio e Luisinho eram os principais alvos da ação. Na época, Anísio não foi localizado pelos policiais. Na garagem do prédio onde ele mora, na Avenida Atlântica, foram apreendidos quatro carros importados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário