Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

terça-feira, 21 de agosto de 2012

ESTAMOS TODOS CEGOS

 

Blog do Marcelo Cunha. terça-feira, 21 de agosto de 2012

Blog "Estamos todos cegos" analisa o livro "Só é Preso Quem Quer"

QUANDO CRIMINOSOS FAZEM AS LEIS, SÓ O POBRE VAI PRESO!

Impunidade, um câncer devorando as entranhas da Justiça Brasileira. Poucas pessoas duvidam dessa afirmação, assim como poucos duvidam que a impunidade aumente na mesma proporção em que aumenta o saldo bancário do criminoso.
Com dinheiro sobrando, os ricos e poderosos compram um exército particular de bons advogados, e estes, verdadeiros especialistas em encontrar brechas nas brandas leis brasileiras, arrastam um processo por anos, mantendo o "patrão" livre para cometer novos crimes e atrocidades.
O pobre? Bem, alguém precisa dar a ilusão de que o sistema funciona e o "João Ninguém" é perfeito para essa função. O favelado entra pela porta da frente da delegacia enquanto o bandido do colarinho branco sai pela porta dos fundos, e as pessoas acreditam que a justiça ainda funciona!

Justiça - Mais cega para uns do que para outros.
 
 Não me entendam mal, crime é crime, merece punição e ponto final. A vítima não é menos vítima e o estupro não fica menos hediondo quando cometido por alguém que ganha salário minimo, mas não há como evitar o asco que sentimos ao presenciar inúmeros indivíduos sairem ilesos após confessarem seus crimes.
O brilho dourado das barras de ouro cega ainda mais a justiça!
 O livro "Só é Preso Quem Quer!" escrito pelo promotor de justiça criminal Marcelo Cunha de Araújo, busca mostrar as razões pelas quais nossa justiça é tão lenta, ineficaz e injusta.
A principal razão?
Falta de Vontade Política! Simples, de acordo com o promotor:  "os que mais se beneficiam com a ineficiência do sistema são justamente aqueles que detêm o poder de mudança."  

Impunidade que abre portas...
Resumindo, nossos amados políticos, os "donos do poder", não criam leis mais severas, pois sabem que cedo ou tarde terão que enfrentá-las. Qual razão levaria um corrupto a modificar as leis existentes e punir com mais rigor a corrupção?

Aqui no Brasil? Nenhuma! Não é por acaso que os crimes campeões de impunidade sejam os crimes do colarinho branco.
Interessante notar que esse sistema é alimentado pela grande maioria do povo. Sim, porque os nossos políticos não são seres de outro planeta, nem tão pouco demônios vindos das profundezas abissais, são brasileiros eleitos por brasileiros.
São servidores do povo, seus representantes eleitos democraticamente.
Então, quando estes políticos nada fazem para combater a impunidade e quando se beneficiam dela, cada um de seus eleitores tem uma boa parcela de culpa!
Eles fazem o que fazem porque sabem que não são fiscalizados, que o povo está mais interessado em assistir a novela ou o jogo de futebol, sabem que o povo não gosta de política, sabem que com meia dúzia de promessas vazias e cestas básicas serão novamente eleitos.
Se quer um culpado pela impunidade que assola este país, olhe-se no espelho e pergunte a si próprio: "Em quem eu votei nas últimas eleições e o que eles fizeram durante o tempo que lá estiveram?"
Impunidade encoraja corruptos!

Fonte: http://estamostodoscegos.blogspot.com.br/2012/06/quando-criminosos-fazem-as-leis-so-o.html



Só é Preso Quem Quer - Bastidores no Sistema de Punição Seletiva

Marcelo Cunha de Araújo 

Só é preso quem quer - bastidores do sistema de punição seletiva chega à 3ª edição para dar uma resposta à população no que diz respeito às deficiências do sistema criminal brasileiro. O autor, Marcelo Cunha de Araújo, não se dirige tão somente ao público jurídico, mas a todos que buscam entender os bastidores da Justiça brasileira.

Diariamente, a mídia noticia crimes graves, e, como regra, os parentes das vítimas, ao serem entrevistados, clamam por justiça. Infelizmente, a população já não mais acredita que a justiça será feita, uma vez que, como quase sempre acontece, os ricos permanecem soltos, e os pobres, presos, mesmo que por fatos de pouca ou nenhuma significância.

O autor, atento a esses acontecimentos, traz ao público sua visão crítica, fazendo uma incursão perfeita sobre os mais interessantes e diversos temas envolvendo o "mundo do crime", onde o leitor fará um passeio pelo sistema criminal brasileiro, respondendo às indagações de um público que não está acostumado com a linguagem juridiquês.

Só é preso quem quer tem o objetivo de levar à compreensão da população, de forma clara e precisa, as mazelas do sistema judiciário brasileiro, mostrando por que ricos e pobres são tratados de forma diferente e por que a Justiça é lenta e injusta. Expõe, assim, como um verdadeiro conhecedor do tema, aquilo que os juristas preferem ocultar.

Diferenciais da obra:

- Apesar de analisar profundamente diversos aspectos jurídicos do sistema criminal, o autor procura expor as abordagens de forma didática, com linguagem clara e bem-humorada.

- É interessante e desenvolta, tanto para profissionais da seara jurídica quanto para pessoas sem essa formação.

- O autor traz ao leitor uma visão crítica sobre os temas que envolvem a injustiça criminal brasileira.

 A OBRA:

ISBN: 9788576266396
Número da Edição:
Autores: Marcelo Cunha de Araújo
Ano de Edição: 2012
Editora: Impetus
Lingua: Português
Número de Páginas: 238
País Origem: Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário