Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

BRASILEIROS NÃO ACREDITAM EM PRISÃO NO CASO MENSALÃO

Brasileiros não acreditam em prisão no caso mensalão

Apesar de 73% querer condenação e prisão dos acusados, 43% acredita que haverá absolvição no processo, segundo pesquisa da Datafolha 

Estadão.com.br - 12 de agosto de 2012 | 12h 17

SÃO PAULO - Apesar de a maioria dos brasileiros (73%) querer a condenação dos réus do mensalão, apenas 11% acredita que de fato isso ocorrerá. Já quando a pergunta é sobre a absolvição dos acusados, apenas 5% quer que isso aconteça, mas 43% acredita que eles vão conseguir sair sem punição. Os números são de uma pesquisa da Datafolha, publicada hoje na Folha de S.Paulo.

A pesquisa também mostra que 37% acredita que haverá condenação mas sem ir para a prisão. Além disso, metade dos pesquisados diz que o caso não terá influência sobre o voto nas eleições para prefeito, que ocorrem nesse ano.

Sobre as informações do mensalão, 81% diz saber o que foi o escândalo e 75% que 38 réus foram denunciados e estão sendo julgados pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Outra conclusão é que 82% acha que o mensalão foi um caso de corrupção, 7% acredita que foi caixa dois de campanha eleitoral e 11% não sabe.

Sobre instituições, 52% diz não confiar no Congresso Nacional, número que se repete em relação à confiança nos partidos políticos.

A opinião sobre a cobertura da imprensa se divide. Do total, 45% dos pesquisados acha a coberta completa e 42%, incompleta; 46%, parcial e 39%, imparcial; 46%, séria e 38%, sensacionalista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário