Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

terça-feira, 15 de maio de 2012

JUSTIÇA BENEFICIA 2,7 MIL PRESOS POR TRÁFICO NO RS

CORREIO DO POVO, 15/05/2012

 

2,7 mil presos beneficiados

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), permitindo a qualquer suspeito de tráfico de drogas responder a processo em liberdade, poderá, assim que a decisão for posta em prática, deixar livre pelo menos 2.708 presos provisórios, que estão nas casas prisionais do Estado, acusados deste tipo de crime. A liberdade provisória, entretanto, só pode ser obtida mediante pedido de habeas corpus e por meio de decisão da Justiça. Será examinado caso a caso.

Conforme, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), entre maio de 2011 e maio deste ano, 230 presos foram condenados pela Lei Antidrogas no Rio Grande do Sul.

A decisão do STF, que favorece detentos das 97 casas prisionais gaúchas, foi recebida com críticas pelo titular da 1 Delegacia de Investigação do Narcotráfico, delegado Mário Souza, do Departamento Estadual de Investigação do Narcotráfico, para quem o suspeito solto pode cometer novamente outros delitos, além do tráfico de entorpecentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário