Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

JUDICIÁRIO PEDE 28,86% DE REAJUSTE

ZERO HORA 12 de novembro de 2012 | N° 17251

BRASÍLIA | Carolina Bahia

Juízo, parlamentares!

O STF determinou que o projeto de lei orçamentária de 2013 inclua pedido de aumento do Judiciário, fixado em 28,86%. Se deputados e senadores tiverem juízo, derrubarão a proposta no voto, já considerada um disparate por quem conhece a fundo as contas públicas. 


Presidente da Comissão de Orçamento, o gaúcho Paulo Pimenta (PT-RS) adianta que os debates começam ainda hoje e que pedirá um parecer técnico a sua equipe. O Congresso não pode criar uma nova despesa. Se isso ocorrer, outro setor vai perder dinheiro. 

Que área seria prejudicada para garantir tamanho reajuste a uma única categoria? 

O governo já havia alertado as lideranças do Judiciário de que, em ano de crise econômica internacional, um aumento dessa proporção seria inviável, ainda mais para servidores considerados bem remunerados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário