Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

terça-feira, 22 de março de 2011

BENESSES LEGAIS - BENEFICIADO, TRAFICANTE FOGE E ATERRORIZA TERRITÓRIO DOMINADO


Um território sob o domínio do terror de Matemático. Traficante que deixou cadeia pela porta da frente comanda bando armado e deixa moradores da Zona Oeste reféns do medo - POR LESLIE LEITÃO -O DIA ONLINE, 22/03/2011

Rio - Desde que saiu pela porta da frente da cadeia em abril de 2009 — beneficiado pelo regime semiaberto que o autorizou a trabalhar na funerária da família de sua advogada—, o traficante Márcio José Sabino Pereira, o Matemático, jamais voltou. Pior: o criminoso liderou guerras por bocas de fumo que aterrorizaram moradores, deixou que seus soldados praticassem assaltos nas ruas da região de Senador Camará e voltou a oprimir a população do Complexo da Coreia, na Zona Oeste, como revelam imagens obtidas por O DIA. Tudo isso praticamente sem ser incomodado pela polícia.

Longe das ações de pacificação em outras áreas da cidade, Matemático — também conhecido como Batman ou Batgol — foi estendendo seus tentáculos e dominando praticamente tudo o que dá lucro na comunidade.

O bandido entrou até no delicado e sangrento negócio das máquinas caça-níqueis. Normalmente elas pertencem aos ‘capos’ da máfia do jogo do bicho. Em Senador Camará, não: lá, Matemático passou a controlar cada moeda apostada na jogatina. “E ele é violento, cruel, mata e deixa matar sem piedade”, diz uma apavorada moradora da Favela do Rebu.

Com 13 anotações na ficha criminal, Matemático está condenado a 12 anos de prisão.

NOTA: restante da matéria na fonte ou no blog http://ordemeliberdadebrasil.blogspot.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário