Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

terça-feira, 1 de novembro de 2011

CASO ORLANDO - RETALIAÇÃO DO STF AO GOVERNO?

Processo contra Orlando foi uma retaliação do STF ao governo? - FELIPE PATURY, REVISTA ÉPOCA, 31/10/2011

A rapidez com que a ministra Carmen Lúcia, do Supremo, abriu inquérito para investigar a responsabilidade do ex-ministro do Esporte Orlando Silva no desvio de verba da pasta está sendo interpretada pelo Palácio do Planalto como um sinal de irritação da corte com a presidente Dilma Rousseff.

As causas são o atraso na indicação do nome para substituir Ellen Gracie, o que implica em aumento de trabalho para os outros 10 ministros, e a sinalização do governo de que não pretende atender às reivindicações de reajuste salarial da magistratura e do Ministério Público.

COMENTÁRIO DO BENGOCHEA - O povo brasileiro quer um judiciário ágil, diligente e coativo. Portanto aplaude a rapidez do STF em processar o ex-ministro. Mas, como esta agilidade não é comum no nosso poder judiciário, fica a dúvida. Será? Não acredito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário