Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

sábado, 18 de junho de 2011

JUÍZA É "ESCOLTADA" PELOS PRÓPRIOS RÉUS

PERIGO FLAGRANTE - Juíza é "escoltada" pelos próprios réus - Antonio Carlos Prado e Juliana Dal Piva - Revista Isto É Edição: 2171, 18.Jun.11 - 13:

A juíza Fabíola de Moura é a responsável pelo julgamento de 19 policiais militares acusados de tortura e assassinato de agricultores na cidade pernambucana de Tabira (foto).

A Polícia Militar colocou para escoltá-la dois PMs – justamente dois que estão entre aqueles que ela julgará.

A juíza denunciou que foi vítima de tentativa de homicídio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário