Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

quarta-feira, 4 de maio de 2011

MOROSIDADE - SECRETARIO DE SEGURANÇA PEDE AGILIDADE AO TJ-SC

REAÇÃO AO CRIME - Secretário pede agilidade ao TJ - Diário Catarinense, 04/05/2011

À tarde, o secretário da Segurança Pública, César Grubba, tentou dar a sua resposta à facção criminosa e à própria polícia, que está sendo alvo dos criminosos com ataques a prédios policiais desde o mês passado. Ele levou toda a cúpula da segurança pública ao gabinete do presidente do Tribunal de Justiça (TJSC), desembargador José Trindade dos Santos, para uma reunião fechada.

Embora o secretário tenha dito que a iniciativa tinha o objetivo de pedir prioridade da Justiça em decidir sobre pedidos da polícia em crimes graves, o DC apurou que o ato foi específico. O titular da SSP levou ao presidente a discussão sobre a situação do inquérito policial que investigou os supostos integrantes da facção com ramificações em presídios e penitenciárias – a investigação da Deic indiciou 25 pessoas por participação em crimes comandados por presos. Até agora, a informação que a polícia tem é que o inquérito está parado na Justiça sem nenhuma decisão sobre os pedidos de prisões e de busca e apreensão dos suspeitos – entre eles, o próprio Davi “Gângster”

– Temos provas, escutas telefônicas. Os juízes precisam dar prioridade aos pedidos judiciais cautelares e que envolvem crimes graves, contra as pessoas, e organizações criminosas – enfatizou.

O desembargador Trindade disse ao DC que a reunião foi importante. O desembargador disse que está sendo feito um levantamento para a criação de uma vara de inquéritos para agilizar o combate ao crime e os pedidos policiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário