Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

quinta-feira, 2 de julho de 2015

AJUSTE PARA SERVIDORES É INSUSTENTÁVEL


Dilma diz que reajuste do Judiciário é "lamentável" e "insustentável" Josh Edelson/AFP
ZERO HORA 02 de julho de 2015 | N° 18212


AJUSTE EM XEQUE. “Insustentável”, afirma Dilma sobre reajuste



PRESIDENTE DEVE VETAR projeto que concede aumento salarial de até 78% para o Judiciário. Em visita oficial aos Estados Unidos, a presidente Dilma Rousseff criticou ontem a decisão do Senado de aprovar, na noite de terça-feira, reajuste salarial de até 78% entre 2015 e 2017 para os servidores do Poder Judiciário.

– Achamos lamentável, porque é insustentável um país como o nosso, em qualquer circunstância, dar níveis de aumento tão elevados – criticou a presidente.

Segundo ela, tal nível de reajuste “de fato, compromete o ajuste fiscal”. A presidente, entretanto, não informou se irá vetar o aumento salarial ao Judiciário.

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, no entanto, disse que o governo irá vetar o reajuste:

– Não há previsão orçamentária para este gasto. Por isso, é que não tem condição de ser adotado e o governo vai vetar essa lei.

Dilma não quis comentar os resultados da pesquisa CNI-Ibope divulgada ontem (leia mais sobre a pesquisa na página 12):

– Não comento pesquisa, nem quando sobe, nem quando desce.

Animada no seu último dia de viagem, Dilma deu uma volta de cerca de 20 minutos no carro autônomo do Google, na sede da empresa em Mountain View, no Vale do Silício, na Califórnia.

– Acabei de descer do futuro. É um nível de desenvolvimento que não imaginei que houvesse – disse a jornalistas após o fim do passeio.

O carro avaliado por Dilma era um modelo Lexus, mais antigo que o pequeno veículo de design arredondado que começou a ser testado pelo Google semana passada.

Ao ouvir do presidente-executivo do Google, Eric Schmidt, que se houvesse qualquer problema, “os humanos conseguem parar” o carro, a presidente emendou: “Vambora!”.


COMENTÁRIO DO BENGOCHEA -  REAJUSTE PARA SERVIDORES É "LAMENTÁVEL E INSUSTENTÁVEL", MAS PARA OS ALTOS CARGOS NÃO. É A NOVA OLIGARQUIA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário