Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

domingo, 20 de outubro de 2013

JUSTIÇA EM NÚMEROS

PORTAL CNJ



Os dados constantes do Relatório Justiça em Números são a principal fonte estatística que o Conselho Nacional de Justiça utiliza para sua atuação nacional. As informações sistematizadas e analisadas possibilitam um conhecimento amplo do Judiciário, capaz de fomentar medidas de integração, redução das disparidades regionais, bem como considerações sobre as especificidades de cada ramo de justiça.


O perfil de cada tribunal é apresentado a partir dos dados sobre orçamento, recursos humanos, litigiosidade, congestionamento e produtividade, fornecidos pelos próprios tribunais. Este processo de mensuração do desempenho do Poder Judiciário, além de revelar as particularidades administrativas e institucionais dos tribunais e propiciar dados concretos para a formulação e o planejamento das políticas judiciárias, fornece à sociedade um retrato sólido da estrutura judicial no Brasil. O objetivo do CNJ é que os dados sejam referência para a criação de uma cultura de planejamento e gestão estratégica.

Desde a 1ª edição o relatório vem se aprimorando e esta nova versão inova ao disponibilizar recursos tecnológicos para o cidadão como, por exemplo, o novo formato de livro eletrônico e recursos de relatório dinâmico.

No menu à direita, você encontrará: (a) infográficos que mostram os principais indicadores e variáveis do relatório Justiça em Números; (b) cartões de referência nos quais constam os dados completos por tribunal, a fim de possibilitar a visualização direta das principais variáveis e dos indicadores integrantes do Sistema de Estatísticas do Poder Judiciário Nacional (SIESPJ).

Todas essas informações estão segmentadas por ramo e por tribunal.

Além disso, estão disponíveis para consulta os relatórios já publicados nos anos anteriores e a base de dados completa da pesquisa no formato de dados abertos, nos termos da Portaria nº 216, de 19 de dezembro de 2012.

Abaixo, você poderá acessar a última versão do relatório em formato de livro eletrônico.




Os dados do Justiça em Números referentes a 2012 estão disponíveis no link Relatórios, no índice à direita da página.




Nenhum comentário:

Postar um comentário