Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

MARAJÁS DO RIO


ZERO HORA 19 de fevereiro de 2013 | N° 17348

TRE-RJ paga R$ 100 mil ou mais a 75 servidores

Um grupo de 75 servidores do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) recebeu vencimentos líquidos superiores a R$ 100 mil em dezembro. O montante pago a eles somou R$ 13,7 milhões e representou 48,22% da folha da Corte eleitoral fluminense no último mês do ano passado.

A lista de supersalários é liderada por um analista judiciário, que recebeu R$ 362,45 mil. Em segundo lugar, vem um técnico judiciário, cargo de nível médio, que recebeu R$ 359,5 mil.

Outras duas analistas judiciárias receberam valores superiores a R$ 300 mil. Uma assessora administrativa da Diretoria-Geral ganhou R$ 330,5 mil e uma servidora levou R$ 315,9 mil. Mais 11 funcionários receberam valores acima de R$ 200 mil.

A maior parte desses recursos foram desembolsados a título de “vantagens eventuais”. Trata-se do pagamento dos “quintos” a servidores de carreira que desempenharam cargos de confiança entre 1998 e 2001. Posteriormente, o benefício foi extinto por lei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário