Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

TRAFICANTE SOLTO POR ERRO DA JUSTIÇA É PRESO EM ASSALTO

ZERO HORA ONLINE, 26/10/2012 | 16h46

Traficante solto em Pelotas por erro da justiça há quase um ano é preso durante assalto na Bahia. Índio deixou o Presídio Regional de Pelotas, pela porta da frente, em novembro do ano passado tendo mais de 30 anos de prisão a cumprir

Joice Bacelo

Quase um ano após ser solto indevidamente do Presídio Regional de Pelotas, Valdomiro Soares Oliveira, conhecido como Índio – um dos lideres da quadrilha que movimentava 80% da droga da região sul, desmantelada pela Polícia Federal em 2009 – foi preso em flagrante assaltando uma joalheria em Feira de Santana, interior da Bahia.

Índio deixou o Presídio Regional de Pelotas pela porta da frente, no dia 14 de novembro do ano passado, apenas dois anos depois de ser condenado a cumprir pena de mais de 30 anos de prisão. Ele foi liberado indevidamente através de um alvará de soltura que ao invés de livrá-lo de um único processo – dos três que respondia – promovia a liberação de todos os crimes que havia sido julgado.

Na Bahia, Índio foi preso pela Polícia Militar no dia 8 de outubro. Com ele, de acordo com a Polícia Federal, estavam outros dois gaúchos, também foragidos da Justiça – um com mandado de prisão expedido pela Justiça de Santa Catarina e o outro pela Justiça do Rio Grande do Sul.

De acordo com a polícia baiana, o trio saía da loja quando um policial à paisana, desconfiado, avisou à equipe que fazia ronda pela região. Os bandidos perceberam a presença do policial, dispararam contra ele e fugiram em um automóvel modelo Fox com placa do Paraná.

O grupo foi preso próximo à rodoviária de Feira de Santana. Com eles foram encontradas as jóias do roubo, além de duas pistolas. O trio foi encaminhado para o Complexo Penitenciário do Estado da Bahia, em Salvador, onde permanece preso.

Conforme a assessoria do juiz Alan Tadeu Soares Delabary Júnior, da Vara de Execuções Criminais da Comarca de Pelotas, ainda não está definido se Índio continuará cumprindo a pena na Bahia ou se será transferido para o sul do Estado, de onde foi solto indevidamente.

Um comentário:

  1. Não entendi. O erro foi de quem?
    Explicite o nome da pessoa por favor.
    Gostaria que tal pessoa se desculpasse em publico.

    ResponderExcluir