Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

POR QUE ELA MORREU?



ZERO HORA 29 de agosto de 2016 | N° 18620



ARTIGO | GUSTAVO CALEFFI*



Não tenho mais tempo para responder a tantas pessoas da imprensa que me perguntam sobre o porquê de matarem mais um cidadão de bem.

Você quer saber por que mataram uma mãe de família em frente a sua filha? Pelo simples motivo de que vivemos em um país onde banalizamos a vida humana. Porque estamos com o Estado e os órgãos de segurança pública falidos. Porque vivemos o caos do sistema penitenciário. Porque temos a falência da instituição família e com isso perdemos os princípios de moral e ética. Porque a sociedade compra peças e produtos oriundos do crime. Porque as nossas leis são brandas e falhas. Porque invertemos valores quando juízes liberam bandidos por falta de espaço em presídios quando o Estado deveria investir no aumento da capacidade prisional. Porque os direitos humanos só tendem para o lado dos delinquentes, e na verdade os direitos humanos deveriam ser para humanos direitos. Porque a impunidade em que vivemos gera a criminalidade. Porque há uma nítida sensação de que no Brasil, sim, o crime compensa.

Em suma, porque há mais de 11 anos alerto que vivemos no caos social e ao longo desses anos tenho sido taxado de exagerado. Porque a sociedade faz força para não enxergar a dura realidade e, principalmente, porque assistimos a tudo isso em frente à televisão sem nos darmos conta de que seremos a próxima vítima.

*Especialista em segurança

Nenhum comentário:

Postar um comentário