Aqui você vai conhecer as mazelas que impedem o Poder Judiciário brasileiro de desembainhar a espada da severidade da justiça para cumprir a função precípua da aplicação coativa das leis. Sem justiça, as leis não são aplicadas e deixam de existir na prática. Sem justiça, qualquer nação democrática capitula diante de ditadores, corruptos, bandidos, rebeldes, justiceiros, imorais e oportunistas. O Brasil precisa de uma justiça coativa, proba, célere, séria, confiável e comprometida com as questões nacionais, de direito e de ordem pública, integrada no Sistema de Justiça Criminal.
- Veja no rodapé deste blog a justiça que queremos e a que não queremos no Brasil

quinta-feira, 12 de junho de 2014

BUSCA E APRENSJUIZ DA VARA DE EXECUÇÕES PENAIS

Do G1 MG 12/06/2014 09h37

Juiz da Vara de Execuções Criminais de Juiz de Fora chega à PF, em BH. Segundo a Polícia Federal, ele foi preso por porte ilegal de armas. Defesa negou prisão e envolvimento com operação deflagrada na cidade.





O juiz afastado da Vara de Execuções Criminais de Juiz de Fora, Amaury de Lima e Souza, chegou à Superintendência da Polícia Federal, no bairro Gutierrez, na Região Oeste de Belo Horizonte, às 5h15 desta quinta-feira (12). Segundo a polícia, ele foi preso por porte ilegal de armas e munições de uso restrito na última noite. O magistrado foi conduzido até a capital mineira no carro na PF.

Policiais e corregedores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais cumpriram mandados de busca e apreensão em dois imóveis do juiz, na Zona da Mata. Foram apreendidos três carros, além de três silenciadores. Ainda segundo a Polícia Federal, ainda nesta manhã, o juiz será levado ao presidente do tribunal mineiro para lavrar o auto de prisão em flagrante.

O advogado Augusto Mendes negou que o juiz tivesse sido preso. “Dr. Amaury hoje, ele vai, a Belo Horizonte para estar com o presidente do Tribunal de Justiça para uma conversa, mas não está sendo preso. Ele só está indo a Belo Horizonte para poder ter um diálogo mais direto e objetivo com o presidente do Tribunal de Justiça", disse. O defensor afirmou também que o cumprimento de mandados e a condução do magistrado não tinham relação com a operação que prendeu uma quadrilha de traficantes, na terça-feira (10), em Juiz de Fora.

Ainda segundo a polícia, a Justiça terá 48 horas para se reunir e decidir o que acontecerá com o magistrado. Nesta manhã, o tribunal ainda não havia se posicionado sobre o caso.

Entenda o caso

O TJMG decidiu pelo afastamento do juiz da Vara de Execuções Criminais de Juiz de Fora, Amaury de Lima e Souza, além de abertura de investigação. A decisão foi tomada por um grupo composto por 25 desembargadores. O tribunal autorizou a Polícia Federal a cumprir mandados de busca e apreensão em imóveis do juiz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário